Easter

Depois de tres meses de muita escravidao (ehhhhh, vcs pensam o que, que escrever este blog eh moleza? E fritar batata, voce pensa que eh simples?) vou para as minhas merecidas ferias! A cidade ja esta vazia – por aqui a galera tem 2 semanas de ferias, que eles chamam de Easter, a nossa tao famosa Pascoa, so que muito maior. Eu nao vou ganhar nenhum ovinho de chocolate, nem vou poder ver a procissao em Perdoes, nem vou comer churros nas barraquinhas, nem bacalhau da minha mae, mas em compensacao vou dar uma voltinha por ai. Aguardem que dia 09 de abril tem mais! Neste mesmo endereco.

E muitos ovos de Easter para vc 😉

Chips & Chips

Esta noite eu tenho certeza que vou sonhar que estou sendo perseguida por uma batata frita gigante acompanhada de 5 saches de catchup demoniacos! Gente, nao to podendo ver batata na minha frente, nem sanduiches, refrigerante, bandejas coloridas e criancas!!!

Isto porque o primeiro dia no trabalho foi lindo e light. Entrei feliz e sai limpinha no final do expediente. Fiquei so no Cafe do andar de cima, fazendo capuccinos, chocolates-quentes, entregando um sanduichinho magro ou uma porcaozinha de alguma outra coisa, para os pais das criancas enlouquecidas que jogavam hokey ou patinavam no gelo. Estava tudo muito bom e cheiroso para ser verdade. Ate que tive minha estreia de fim de semana, no bar do andar de baixo, em frente a pista.

Enquanto o mundo esta preocupado com o aquecimento global ou com o quinto paredao do Big Brother no Brasil, eu so penso na quantidade de fritura que as criancas comem aqui! E la estava eu igual a funcionaria do mes do McDonalds, treinando minhas habilidades de patinacao em oleo! A frase que nao me sai da cabeca eh: “can I have a large chips, regular coke and a cheeseburger, please”?!! As criancas aqui, antes de aprenderem a falar mamae, falam ba-ta-ta! Em seguida elas aprendem o poeminha batatinha-quando-nasce-esparrama-pelo-chao e so depois vem as coisas superfulas, como agua, xixi, sono, papai e mamae.

Melhor do que uma bolsa nova foi a recompensa de chegar em casa e tomar um banho para me livrar do meu perfume french-fry.

(Criancas insanas na pista de hokey. Eh inacreditavel como elas jogam bem. E como elas sentem fome depois)

(Acima: pequenos demonios-comedores-de-frituras patinam graciosamente no gelo)

Just fotos…

Recebi umas fotos que meu pai me enviou do carnaval (bem atrasadas) e agora estou morrendo de saudade de tudo! Passei mal de rir de algumas, como sempre so palhacada. Mas pra uma coisa serviram estes meses que estou aqui: la em casa houve um upgrade tecnologico. Meus pais tem msn, skype, microfone, email, webcam e aumentou a disputa com meu irmao para ver quem vai usar o computador a noite. Outro dia por exemplo conversei com minha avo pelo msn. Eh a revolucao da terceira idade.

(Da direia para esquerda: meu tio, meu pai, meu irmao, meu cunhado. Todos no grau.)

Voltando ao lado de ca, hoje fui numa vila perto de Manchester, que chama Pick District (eh assim mesmo que escreve??). Para a galera daqui, este lugar eh um “pico” de uma montanha, mas pra mim eh apenas uma cidadezinha rural como tantas que temos no Brasil, cheia de pasto e coco, com a diferenca que o coco eh de ovelha, e nao de cavalo ou vaca. Passei frio, tomei chuva, caminhei por varios destes pastos, pisei em um monte de lama, mas nao vou negar que me diverti bastante.

Fotinhas:

Saltitante e feliz

Eu juro que nao estava fazendo xixi na grama


Que saudade da Juliaaa!

Olha o boi do Toni Ramos

De tirar o chapeu

Aguardem e verao minhas novas aventuras gravadas no Cafe da pista de patinacao no gelo! Meu novo trabalho sera num mega complexo esportivo, com casa de show, campos de futebol, pistas de hockey, academia, etc etc e mais etcetaras. Ai resolvi fazer uma pesquisa de campo para conhecer mais a fundo o meu publico, e fui dar uma patinada, pela primeira vez na minha vida. Entrei na fila com aquele monte de criancas, pais e adolescentes, me sentindo a tal. Calcei meus patins e fui andando igual uma pata-choca ate chegar na entrada da pista, sem saber que aquilo poderia ficar ainda pior quando eu pisasse no gelo. Gente do ceu, que coisa mais dificil! Alguem me explica como aquelas criancas de 5 anos de idade saem correndo e rodopiando, ate trombar na parede e voltar de marcha-rer? Eu so conseguia andar em circulos, acompanhando a beirada da pista! Mas resolvi que tinha que ser mais forte que eles, eu nao podia desistir! Ate que depois de umas 18 voltas, levei o primeiro tombo. Me senti uma tartaruga de barriga para cima, simplesmente eu nao conseguia levantar! Tirando eu, ninguem mais caiu, durante 1 hora que fiquei neste martirio. Bom, pelo menos agora conheco o potencial dos meus clientes. Alem de falar um ingles perfeito, eles patinam bem pra dana.


Falando em tombos, vi uma galera levando varios ontem a noite, e nem tinha gelo nos bares. Foi Sant Patrick’s Day, o dia do padroeiro da Irlanda, entao os ingleses, irlandeses e afins saem com uns chapeus verdes e bebem pra caramba! Ai logico que consegui roubar um chapeu pra fazermos parte da festa. E o mais legal eh que aqui voce pode fazer um tour por todos os bares que voce quiser na mesma noite, ja que nenhum paga pra entrar. Alem do chapeu, tinha gente fantasiada de todo tipo (pra nao perder o costume) e varias pessoas vestidas de Peter-Pan, mas que fui descobrir era a roupa do tal St Patrick, que deve ser o protetor da Terra do Nunca e dos Capitaes-gancho.



Empurra nao…

E que venham as flores!

Sinais de que a primavera esta chegando: ingleses sorridentes, pessoas deitadas na grama tomando sol num frio de 10 graus, blusas de manga curta e muitas flores!! E ai entendi o que George Harrison queria dizer com “here comes the sun”! Na Inglaterra isso faz todo o sentido.


Eh engracado como este povo sente falta do calor que nos temos o ano todo e nem damos valor. Se de um lado da rua tem sol e no outro nao, todos atravessam e andam so do lado quentinho! E como eles tambem sentem falta do calor humano, imagino eu. Por aqui as pessoas nao se tocam, nao se abracam, nao se beijam como nos. Se cumprimentam com um bom-dia e se despedem com um “see you”, mesmo se nao vao te ver nunca mais. E entao comecei a constatar o inesperado e quase impossivel: eu tambem estou mais gelada! Gesticulo menos e aprendi a conter meu impulso por encostar nas pessoas enquanto falo, aquelas coisas que a gente faz sem perceber. Espero que com o calor eu volte ao meu estado natural…

Mesa para quantos?

Algumas pessoas reclamaram que esta semana eu estou sumida. Mas eh que alguem precisava trabalhar neste pais! Entao la fui eu para um restaurante espanhol, cobrir os dias de uma espanhola que foi de ferias pra casa. Peguei o zero que tenho de experiencia em restaurantes e afins, juntei com minha cara de pau e fui. Afinal, ninguem pode negar que sei lidar com clientes, ja que sou publicitaria e trabalho na area desde quando estava na faculdade, com a unica diferenca de que todos eles falavam a minha lingua.

Reforcando a minha teoria de que trabalhar aqui eh uma maravilha, 20 minutos depois que cheguei, o gerente me pergunta: “voce quer jantar agora?” Como eu nao sou de dispensar comida, ja escolhi logo uma Paella. Entao de hora em hora ele me perguntava se eu nao queria um cafe, coca-cola, capuccino, cha. Estava ja pensando em sentar numa mesa, cruzar as pernas e fazer meu pedido, quando ele vem com mais esta: “olha, se voce estiver cansada de ficar em pe, pode ir pra sala la em baixo descansar”. Imaginem isso no Brasil!!! A recepcionista do restaurante tomando uma coquinha com limao, sentada numa cadeira, enquanto recebe os clientes. Ai de repente ela some, porque foi tirar uma soneca na saleta la em baixo. Inacreditavel.

Agora vai tentar entender um ingles pedindo uma Fajita. Ou um Mejilones Picantes. Eles disfarcam, retorcem, comecam alto e terminam a palavra baixinho, pra gente nao perceber que eles estao falando errado! Foi a verdadeira inversao de papeis! Era a minha chance de ter meus momentos de gloria! Entao se eles vinham com “por favor, poderia me ver mais daqueles paezinhos?” Eu: “ah, sim, Tortillas?!?”. E comecei a gastar meu portunhol como se eu fosse a mais nativa espanhola.

Mas depois de dois dias me sentindo uma proletariada, eu merecia me sentir eu novamente. Entao peguei um trem e fui para o shopping. Comprei uma bolsa linda (nao preocupem que da pra pagar com pouco tempo de trabalho) e voltei feliz da vida, como a mais poderosa das pessoas. Agora vou jantar minha paella (logico que eu trouxe o que sobrou de ontem numa marmita). No mais, obrigada por terem vindo e voltem sempre!

Pintando todas

Este final de semana eu pintei. Literalmente falando, comecei pintando paredes de uma clinica beneficente para pessoas com cancer, e terminei pintando desenhinhos em uma clinica de apoio a criancas e jovens. Nao fui eu que fiz uma boa acao, na verdade sai ganhando muito mais do que todos. Alem de adorar pintar, eu conheci um monte de meninas bacanas e aproveitei para melhorar meu ingles entre as nativas que falam mais que pobre na chuva e mais rapido e embolado do que meu irmao cacula.

No primeiro dia eu me senti uma analfabeta. Descobri que enteder professores e TV eh facil. Dificil eh enteder as pessoas do mundo real, que emendam uma palavra na outra e falam um monte de girias. Principalmente uma das meninas, que eh americana, e entre cada dupla de palavras ela fala um Hey man ou um Fuck guy. Bem contrastante com o estilo “polite” das demais. Mas sabiam que ela eh a mais simpatica? Nao sei se eh porque no Brasil passamos a vida toda assistindo filmes americanos, entao ela me pareceu muito familiar, como se tivesse saido de um seriado.

E como eh mamata trabalhar aqui gente! De hora em hora as pessoas param para o Tea Break. E la se vao 30 minutos de cha. E o cha nunca vem sozinho, sempre vem acompanhado de leite e cookies. Eu ainda nao estou neste nivel britanico, entao geralmente tomo cafe (obvio que nao dispenso os biscoitos). E todos horrorizam com o meu cafe: “ohhh! Expresso!” Isso porque aqui cafe eh uma agua suja, que voce faz com uma colherinha de nescafe e uma caneca cheia de agua.




Ai depois de umas duas horas, la vem um sugerindo parar para o lunch. Ai impulsivamente falei: “vamos pintar por mais uma hora e depois paramos. Alguem ai esta com fome ja?”. Recebi olhares fulminantes. Dei um sorrisinho e fui lavar meu pincel. E olha que pra eu dispensar comida eh porque realmente ainda nao teria dado tempo de digerir os 4 pacotes de cookies que comemos. Mas la fomos nos para os sanduiches tao famosos do almoco ingles. Uma hora depois, break tea again. Apos este trabalho duro, so penso em ir na academia amanha sem falta. E voces ai, se tiverem alguma parede descascada, podem me chamar que dou uma maozinha. Claro, se voces oferecerem cha com biscoitos.


Regras basicas da etiqueta britanica

Se o seu telefone toca no meio da aula, voce pega rapidinho e desliga ou pede educadamente para sair, certo? Pois aqui voce pode atender e bater um papo, inclusive se voce eh o professor e tem 30 alunos olhando para sua cara. Hoje pude desfrutar da conversa do meu professor durante 20 segundos, que sao uma eternidade ja que ele estava la na frente e todos os demais em silencio. Ai lembrei tambem do dia que eu estava em um onibus voltando de Londres e o celular da motorista tocou. Aqui nao deve ser proibido e nem deve levar multa atender a uma chamada, porque ela nao so atendeu como manteve um dialogo de uns 5 minutos com o marido, que pudemos acompanhar gracas aos microfones que existem ao lado do seu assento. Nao deu para entender bem, mas ela deve ter falado algo como o horario que ia chegar em casa e provavelmente pediu para ele ir descongelando um franguinho para o jantar.

E gente, como os motoristas aqui trabalham viu! Eles fazem tudo sozinhos, porque aqui nao existe o pacote motorista-cobrador. Entao tudo eh servico para o pobre motorista, mesmo se ele for uma mulher: olhar os bilhetes, cobrar, contar as pessoas, guardar as malas, dar os avisos, e inclusive dirigir. Em compensacao voce pode atender ao celular, e com sorte deve dar ate para fazer as unhas ou a sobranchelha enquanto dirige.

Como eu aqui nao dirijo, nao dou aulas, e ninguem me liga no celular, sera que poderia trocar meu direito de atender ao telefone pelo direito de puxar a meleca pra dentro quando meu nariz estiver entupido ou isso seria muita falta de educacao?

Em homenagem a nos mocinhas… uma visao masculina da nossa superioridade

“Se uma memória restou das festinhas e reuniões de familiares da minha infância, foi a divisão sexual entre os convivas: mulheres de um lado, homens do outro. Não sei se isso, hoje, ainda ocorre. Sou anti-social a ponto de não freqüentar qualquer evento com mais de 4 pessoas, o que me descredencia a emitir juízo. Mas era assim que a coisa rolava naqueles tempos. Tive uma infância feliz: sempre fui considerado esquisito, estranho e solitário, o que me permitia ficar quieto, observando a paisagem. Bom, rapidinho verifiquei que o apartheid sexual ia muito além das diferenças anatômicas: a fronteira era determinada pelos pontos de vista, atitude e prioridades.

Explico: no córner masculino imperava o embate das comparações e disputas. Meu carro é mais potente, minha TV é mais moderna, meu salário é maior, a vista do meu apartamento é melhor, o meu time é mais forte, eu dou 3 por noite e outras cascatas típicas da macheza latina. Já no córner oposto, respirava-se outro ar. As opiniões eram quase sempre ligadas ao sentir. Falava-se de sentimentos, frustrações e recalques com uma falta de cerimônia que me deliciava. Os maridos preferiam classificar aquele ti-ti-ti como fofoca. Discordo. Destas reminiscências infantis veio a minha total e irrestrita paixão pelas mulheres. Constatem, é fácil. Enquanto o homem vem ao mundo completamente cru, freqüentando e levando bomba no bê-a-bá da vida, as mulheres já chegam na metade do segundo grau. Qualquer menina de 2 ou 3 anos já tem preocupações de ordem prática. Ela brinca de casinha e aprende a dar um pouco de ordem nas coisas. Ela pede uma bonequinha que chama de filha e da qual cuida, instintivamente, como qualquer mãe veterana. Ela fala em namoro mesmo sem ter uma idéia muito clara do que vem a ser isso. Em outras palavras, ela já chega sabendo. E o que não sabe, intui. Já com os homens a história é outra. Você já viu um menino dessa idade brincando de executivo? Já ouviu falar de algum moleque fingindo ir ao banco pagar as contas? Já presenciou um bando de meninos fingindo estar preocupados com a entrega da declaração do Imposto de Renda? Não, nunca viram e nem verão. Porque o homem nasce, vive e morre numa existência juvenil. O que varia ao longo da vida é o preço dos brinquedos! E aí reside a maior diferença: o que para as meninas é treino para a vida, para os meninos é fantasia, é competição, fuga. Falo sem o menor pudor. Sou assim. Todo homem é assim. Em relação ao relacionamento homem/mulher, sempre me considerei um privilegiado. Sempre consegui enxergar a beleza física feminina mesmo onde, segundo os critérios estéticos vigentes, ela inexistia. Porque toda mulher é linda. Se não no todo, pelo menos em algum detalhe. É só saber olhar. Todas têm sua graça. E embora contaminado pela irreversível herança genética que me faz idolatrar os ícones do cafajestismo, sempre me apaixonei perdidamente por todas as incautas que se aproximaram de mim. Incautas não por serem ingênuas, mas por acreditarem. Porque toda mulher acredita firmemente na possibilidade do homem ideal. E esse é o seu único defeito!”

*Recebi este texto por email da Alessandra, minha amiga… Queria saber quem eh o autor para poder colocar os creditos 😉 Adorei. Feliz dia das Mulheres para nos!

Ritmos calientes

Da mesma serie do cara que malha de conga, vem ai o cara que malha de boina!! Uma boina preta estilo Che Guevara! Nao estou brincando gente! Ele deve cultivar feijoes em baixo da boina, pois ele nunca tira. Tem tambem a Daiane dos Santos (aquele que danca enquanto as pessoas puxam ferro) que usa a mesma calca azul marinho de capoeira desde que eu entrei na academia. A calca ja esta mais malhada do que ele. Mas o trofeu fitness vai para o cara que malha de Rider e meias!!! Se alguem pensou que estes exoticos chinelos que davam ferias para o seus pes estavam mesmo de ferias em alguma ilha do Caribe, se enganou. Pois um ingles alternativo estava usando a famosa sandalinha na musculacao.

Ai por pura coincidencia fui para um bar bastante alterantivo ontem. Alternativo para eles, para mim era bem normal. O nome eh La Cubana, a dona do bar eh portuguesa, os garcons sao espanhois, toca samba, salsa e merengue. Quase uma novela das 7. E como eh dificil escutar minhas colegas colombianas falando espanhol, falar automaticamente em portugues com elas e ingles com as outras pessoas. Tudo ao mesmo tempo. Mas me senti tao no Brasil neste bar! Por onde quer que eu olhava via caras familiares, os nossos tracos latinos. Aprendi a dancar Salsa, que descobri que eh igual forro, mas muito mais sacudido e rebolado. Ai claro, todo mundo fica pedindo pra vc sambar, porque se vc eh brasileira, todos pensam que vc tem obrigacao de saber. Ai dei um showzinho tipo Coisinha de Jesus do Casseta e Planeta e quando percebi o bar inteiro estava olhando pra mim. Gente, acho que agora estou famosa. Ainda bem que aqui ninguem sabe o que eh sambar de verdade.