Bem vindo ao Brasil!

Agora vou contar pra vcs como eh voltar ao Brasil. Depois de umas 24 horas de viagem (contando com Londres – Milao – Sao Paulo Guarulhos – Sao Paulo Congonhas – BH Confins) chego no aeroporto quebrada mas toda saltitante, esperando meus baloes, faixas de boas vindas, pao-de-queijo e chapeuzinho, quando descubro que nao tem ninguem, nem unzinho mesmo, esperando por mim. Antes de decidir pegar o primeiro voo e voltar pra Inglaterra, dei uma ligadinha pra minha mae, que me avisou que estavam presos no transito. Eh verdade, havia me esquecido do transito! E tambem do barulho! Gente, no meu primeiro dia tive uma dor de cabeca inexplicavel, a gente se esquece de como tudo eh barulhento por aqui. Todo mundo buzina e, assim como eu, todos falam muito alto! Se antes eu era apenas uma exclusividade em meio a milhares que falavam baixinho, agora eu encontrei minha turma novamente.




Ja no dia seguinte vim para a cidade dos meus pais – Perdoes – e em apenas 200 km de estrada presenciei nada menos que 4 acidentezinhos de transito. Dois caminhoes batidos, um carro capotado e uma moto caida num buraco, o piloto tinha lama ate no rosto. Sem contar o pior de todos, quando fomos fechados por uma carreta que tentava desviar dos buracos na pista e quase jogou a gente morro abaixo. Foi nesta hora que o Tim resolveu que ele tambem quer um blog, o “Bem-vindo ao Brasil”. Em um ano na Inglaterra eu presenciei um acidente de transito, quando um caminhao tombou, e mesmo assim foi culpa do vento forte e nao do motorista.

Entao partimos para nossa primeira noite de socializacao e levei o Tim para a reuniao semanal dos meus pais com os amigos, onde ele pode presenciar uma verdadeira festa do interior mineiro, com pao de queijo, pernil, farofa e cerveja alem de, claro, um monte de nego tonto fazendo piadinha com ele. Teve um que virou e disse: “voce eh very beautiful, Brad Pitty!” e logo em seguida virou pro meu pai e perguntou: “Ele eh filho de quem?” Uma outra mulher me chamou: “ai que chique, chama ele aqui pra falar ingles com a gente!” ela so nao me explicou que ela nao falava nem uma palavra em ingles. E entao ja bebados comecaram a soltar o vocabulario para impressionar: “Spice Girls!” ai vinha outro e falava: “David Backham”, “Beatles”, “Palacio de Buckingham” enquanto um outro tentava forca-lo a comer um pe-de-porco à pururuca: “isto eh Foot de Pig! Colesterol! Very good!” e so pararam quando a cerveja acabou. Ja estou ansiosa para ver o que vai acontecer na ceia de Natal.



Retrospectiva 2007

Ta certo que eu nao sou a Globo pra ter Retrospectiva de fim de ano, mas pela primeira vez aqui em 350 dias tive que dar uma paradinha para relembrar e agradecer este ano ma-ra-vi-lhoooooo-so que eu tive. Quem acompanhou este blog lembra onde tudo comecou: bem no reveillon, dentro do meu voo da Alitalia, onde fiquei conhecendo todos os comissarios, o co-piloto, as castanhas de natal e o champagne.

Quando cheguei aqui, fiquei admirada com este frio, com a grama verde, com as casas de tijolos sempre iguais, com tantas pessoas de olhos azuis reunidas dentro de um mesmo vagao de trem, com o preco exorbitante das frutas e os chocolates a preco de banana.

Resolvi ir pra Italia pela primeira vez, afinal este sempre foi meu pais dourado. E la fiquei admirada com o calor de 17 graus no inverno, com a Fontana de Trevi, com as pizzas nas vitrines e com tantas motoquinhas por metro quadrado. Na verdade fiquei admirada com tudo, afinal Italia eh Italia, e como disse uma dia uma amiga, eu sou brasileira mas minha cidade natal eh Roma.

Entao em fevereiro, enquanto voces ai estavam sambando, eu fui dar uma volta em Londres e descobri uma cidade que tem mais brasileiros do que Sao Paulo. Tambem descobri que o Big Ben nao eh big coisa nenhuma, ate o pirulito da Praca Sete deveria ser mais valorizado – mas em compensacao a vista das Casas do Parlamento do outro lado do rio Tamisa eh linda.

E como carnaval eh festa, resolvi criar um pouco de confetes e lavei todas as minhas roupas com um rolo de papel higienico esquecido dentro da maquina. Entao convidei minhas amigas para me ajudarem com o samba-do-crioulo-doido. Tudo bem que faltou caipirinha e um pandeiro, mas a gente se divertiu bastante na lavanderia.

Ai quando assustei ja tinha outro feriado, a Pascoa, e por aqui somos quase que obrigados a viajar nas horas livres, visto que um voo para outro pais custa mais barato do que as compras de supermercado da semana. Entao fomos eu e Martita, minha companhia numero um em viagens, novamente para meu pais natal e aproveitamos para visitar os parentes dela tambem.

Sempre me perguntaram se eu nao ia a aula, e eu tenho que explicar: gente, eu ia nas aulas demais, inclusive tinha aulas toooodos os dias, de segunda a sexta, de 9 da manha ate as 3:30 da tarde, alem de trabalhos para fazer e provas a cada final de modulo. O que me favorecia na Inglaterra sao mesmo os feriados. E como pais de primeiro mundo nao tem miseria, os dias livres vem em pencas. O feriado do Easter (le-se “ister”) que eh a semana santa, dura 20 dias. Como diria o pessoal da minha terra, “easter que eh bao!”

Depois, em apenas um final de semana mais extenso, parti com alguns colegas para Wales, o pais meio “renegado” do Reino Unido. Eles sofrem um preconceito por nao serem “reinados”, mas sim “principados”. Com isso, nem na bandeira da Gra-Bretanha eles estao (descobri isto outro dia lendo um artigo no jornal :-) Se repararmos a bandeira do Reino Unido, ela tem a cruz vermelha da Inglaterra, a cruz branca da Escocia com fundo azul, a vermelha mais fininha da Irlanda, mas nao tem o dragao do Pais de Gales. Acho que seria justo colocarem um Dragao no meio da bandeira, e matariam tres coelhos com uma cajadada so: representariam os Walshes, o horoscopo chines e as mulheres feias.

E quando eu ja estava quase me acostumando com os estudos, la vem as ferias de verao. Depois dizem que brasileiro eh que nao trabalha! Eu nao tive culpa de ter sido obrigada a seguir o calendario britanico e ter que me ausentar a cada tres meses, para um recesso. Mas eu nao sei o que aconteceu com meus pais e minha irma, que apesar de estarem seguindo o calendario brasileiro, vieram aqui me acompanhar nesta vida boa. Entao fomos para 6 paises: Italia, Austria, Alemanha, Suica, Franca, Inglaterra. Foi inesquecivel para mim e tambem para as lojas de salames, que reduziram siginificantemente seus estoques.

Chegou a hora de deixar o Victoria Hall, nossa acomodacao universitaria, e tambem as meninas, minhas flat-mates, que foram como irmas pra mim. Como esquecer de como bicavamos a comida uma das outras, de como riamos na cozinha, enquanto faziamos unha e assistiamos TV. Infelizmente a Hong ja voltou pra China, a Felisia ja voltou pra Africa e a Mari, que eh brasileira, esta aqui ainda mas louca pra voltar pra Londres, a cidade natal dela.
O apelido da Mari eh “doguinho”, primeiro porque ela eh baixinha, muuuuuuito esperta – daquelas que faz mil coisas ao mesmo tempo – e late na janela quando algum estudante sem nocao faz barulho do lado de fora. Ai ela me apelidou de “dogao”. Sou grande, mais devagar que ela e como tudo que me derem, de biscoito a comida requentada da vespera. Assim como um dogao-vira-latas.

Foi ai que me mudei pra casa da Brenda, uma inglesa fofissima e de um coracao enorme, que me trata como filha; claro, depois dos gatos. Nunca vou me esquecer de como ela me fez quebrar meus preconceitos sobre os britanicos. Eles podem ser sim muito queridos, acolhedores e nada frios. Basta terem o aquecedor ligado e uma boa xicara de cha.

Seguindo minhas obrigacoes, parti para a Espanha num feriado bancario, com a meta de fazer 40 dias em 4. Perdemos o primeiro porque chegamos muito tarde, mas consehuimos fazer 39 dias em 3.

Chegou mais um recesso de intervalo para o proximo modulo. O jeito foi ir a Portugal, visitar minhas queridas Claudia e Mariana Juliao, uma em Viana do Castelo e outra em Lisboa. Me surpreendi com este pais, tao lindo e tao acolhedor. Pessoas maravilhosas, paisagens incriveis, um pouco como o Brasil, mas assim com muito mais dinheiro. O nosso ouro foi sim muito bem investido.
Detalhe que quando eu disse a Mariana que eu iria sim pra Lisboa, mas antes passaria uns dias em Viana do Castelo na casa da Claudia, ela pensou: “meu Deus, que chique, a Karla tem uma amiga que mora em Viena, num castelo!”. Ai quando cheguei em Lisboa ela me disse: “Karla, sou ruim mesmo de geografia! Eu nem sabia que Viena era em Portugal!”. Olha so a Mari gente, mal mudou pra Portugal e ja virou portuguesa.
Acabou que de Portugal caimos na rede e fizemos muito sucesso com nossa coreografia improvisada…

Entao tive o recorde de comentarios em um mesmo post, so porque dirigi uma Ferrari. Acho que virei a sensacao do pedaco, um amigo me disse que depois desta eu estava ate mais bonita. Descobri que para as mulheres, entre o Tiao-Macale numa Ferrari e o Gianechinni a pe, pegamos o nosso carro e damos uma carona para o pobrezinho do Giane. Ja para os homens, o Pedro Dilara numa Ferrari eh melhor que a Sheila Carvalho num fusquinha. Eles ficam malucos com esta Italiana.

Nesta epoca conheci mais duas novas brasileiras em Sheffield, a Roberta e a Izabela, que me fizeram sentir ainda mais em casa. Nao da para esquecer os nossos almocos na Uni, a Robs imitando mineiro mais perfeito do que meu irmao cacula, as nossas risadas na cozinha da Bela. E vai cozinhar bem assim la no Brasil! A Bela me alimentou muito bem estes dias por aqui.

Com a reta final se aproximando, me dei conta de que ainda nao tinha ido a Escocia, o nosso pais vizinho. Entao partimos de carro pra la, e me deslumbrei com aquela arquitetura, com aquelas cores, com aqueles marmanjos de saia. Para cada canto que olhava descobria uma beleza ainda maior, entao andava olhando para todos os lados, so nao consehui ver o lado debaixo do kilt, entao nao me facam aquela velha pergunta porque nao saberei responder.

Para completar o ano de boas novas, minha irma resolveu engravidar. Depois de tantas coisas boas em 2007 era so isso que me faltava mesmo: um sobrinho! Vai ser muito querido e bem-vindo! Espero que ela consiga esperar os 9 meses, pois a primeira coisa que ela disse quando descobriu que estava gravida por um teste de farmacia foi: “nao vejo a hora de carregar meu nenenzinho no colo!”. E depois quando nao deu para ver o sexo do bebe no ultrassom, com apenas 5 semanas de gestacao, ela chorou.

Ja livre para aproveitar, como se aproveitar nao tivesse sido a unica coisa que fiz por aqui, resolvemos dar um pulo bem largo em Tenerife, uma ilha vizinha do Marrocos. Nao deu para visitar a Jade, o Tio Ali e toda a galera do Clone, primeiro porque a novela ja acabou ha muito tempo, segundo porque eu nem sabia que Tenerife ficava tao la em baixo, so descobri mesmo quando cheguei.

Por fim eh hora de empacotar as coisas e dizer adeus a esta linda cidade que me acolheu como se fosse minha!!!! Vou sentir saudades de cada pedacinho, de cada arvore, cada casa que via no meu caminho diario pra Uni, cada vez que precisei abrir a sombrinha, cada parada no Testo e no Sansburys, cada deparada com amigos na rua, cada dia ensolarado, cada pub, cada esquina, cada colega, cada professor, cada alegria!!! Tenho que agradecer a todo os ingleses e a Inglaterra, aos amigos tao queridos que fiz aqui, vindos de muuuitas partes do mundo, a voces que me acompanharam sempre, aos meus pais, familiares e a Deus!!!! Se precisasse fazer tudo de novo, nao mudaria uma virgula. Muuuuito obrigada!!!!! E me aguardem no Brasil!

Tenerife

Como a minha geografia eh muito boa, so fui descobrir que a ilha de Tenerife eh quase vizinha da Africa quando ja estava dentro do aviao. Primeiro porque estranhei voo demorar 4 horas e meia, e nao so 2h como de habitual para a Espanha. Segundo porque era a unica explicacao aceitavel para um lugar fazer 22 graus no inverno.

O pai do Tim foi nos pegar no aeroporto, e ele eh uma figura, descobri de onde veio mesmo a paixao do filho, pois a primeira coisa que fizeram foi ir para a garagem mexer em alguns parafusos, trocar umas pecas, escapamentos e sei la mais o que para moto (pela primeira vez vi um album de fotografias de familia onde tem mais foto de carro do que de pessoas). O Martin eh um ingles quase naturalizado espanhol, visto que ele ja vive por la ha mais de 10 anos e tem tres lindos filhinhos-loirinhos tambem ingleses mas que falam espanhol melhor e mais rapido do que a Shakira. Alem destas similaridades latinas, ele ja foi casado 3 vezes (!!!), adora cafe expresso, tem um cachorro e hoje namora uma cubana (acho que nao eh so de motos que ele gosta), coisa bem diferente da tradicional familia britanica, que toma o cha as 5 apos alimentar os gatos. Nem preciso falar que me senti em casa e adorei ver o sol brilhando pela ultima vez por estas bandas, antes de pisar na minha querida terrinha…





-> Se quiser pode ver mais fotos aqui :-)