A Vila

Apos uma semana cheia de nada para fazer, estou descobrindo que minha cidade eh mesmo um ovo, e de codorna. Temos um supermercado, um parque, umas 38 lojinhas de roupas duvidosas, umas 4 de roupas compraveis e uns 579 saloes de beleza. Vai ter salao de beleza assim la na Inglaterra! Mas tambem, como as mocinhas iriam manter o corte Debora-Secco-antes-da-novela em dia? E os rapazes, como manteriam aquele arrepiado britanico natural? Ja garantindo minhas luzes, tratei logo de ficar amiga da namorada de um amigo do Tim, que eh “colorista” em um dos quatrocentos saloes da cidade.

Se voce quiser fazer algo diferente, tem que pegar o carro e ir para alguma outra cidade da regiao. O bom eh que todas elas nao ficam a mais de 20 minutos daqui, o que para mim seria como ir para um outro bairro da mesma cidade. E quando eu falo “cidade” (city) todos morrem de rir, dizem que aqui nao eh cidade, e sim uma town, quase uma village.

Eu ja conheco a mulher do correio, a do banco, os chineses do restaurant da esquina, os indianos do outro restaurante e mais uma meia duzia de pessoas, o que ja me faz quase popular no local. E todos ja sabem quem eu sou, de onde eu vim, como foi meu vestido de casamento, meu decote, meu bolo e minhas fotos, que minha sogra ja fez questao de mostrar para estes 50% da populacao. O proximo passo para me sentir ainda mais parte da comunidade sera cortar o cabelo e pedir ajuda a minha nova amiga para descer uns 2 ou 3 tons nas minhas mechas.

Aniversario do padastro do Tim


Estes sao meus mais novos sobrinhos, do lado loiro da familia. Pra tentar matar um pouco a saudade da minha MC amada.

Em Stafford, uma cidade aqui do lado:

23 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *