Tribuna regional


Depois de Kaka, Rubinho-pe-de-chinelo e Rodrigo no BigBrotherBritanico, sou mais uma a entrar para o hall das celebridades made in Brazil! Minha fama estourou com uma publicacao regional para 20 mil habitantes da minha mega-metropole na regiao central da Inglaterra (ta bem, ta bem, nao eh nenhum Daily Telegraph ou Financial Times, mas eh como uma Tribuna de Perdoes e tem la o seu credito).

Tudo comecou quando resolvi participar da feira beneficente no final de semana, na barraquinha da Bristish Heart Foundation. La fomos eu e minhas coleguinhas de 70 ajudar nesta bonita causa em um sabado nem tao bonito assim, num frio de 10 graus e uma chuva primaveril. Eh incrivel como aqui as pessoas saem de casa normalmente nestas condicoes e, pior que isso, se divertem. Porem antes de me arriscar, eu – com toda a minha inocencia tropical – ainda dei um telefonema para a nossa gerente pra ter certeza de que o evento nao seria cancelado por forca maior. Ela riu. Lembrei-me de que se estou em England eh pra me molhar. Entao calcei minhas galochas e enchi meu coracao de coragem, como voces podem ver na foto abaixo.


Hand luggageBagagem de mao


Depois da minha visita de 3 semanas ao Brasil voltei com algumas pulgas-atras-da-orelha, algumas ideias fixas e outras muambas na mala.

Ideia fixa
Queria muito poder trazer minha sobrinha comigo. O detalhe eh que ela tem so 11 meses, e os pais nao estao de acordo com este intercambio assim em tao tenra idade. Mas para me consolar, eles resolveram entao comemorar o um-aninho dela antecipadamente. Ja avisei que se ela tiver algum trauma na adolescencia eles nao podem culpar a madrinha por te-la feito cantar parabens-pra-voce antes da hora.

Pulga-atras-da-orelha
Tentando superar o meu apego a minha afilhada, foi decidido em assembleia comunitaria que eu preciso entao ter um filho, antes que eu entre em depressao-pos-parto-da-minha-propria-irma. A assembleia foi formada por todos os membros da minha familia, conhecidos da cidade dos meus pais e algumas pessoas que eu so conheco de vista. A votacao foi unanime. Fora o Tim, que votou em branco.

Muamba
Como diz o Tim, eu vim com a mala cheia de “farofa”. Foi o termo que ele aprendeu da ultima vez que foi ao Brasil. Isso porque eu trouxe especialmente pra ele uma forma de pudim (ele absolutamente ama pudim! Testei a dita-cuja ontem, com um pudim de leite condensado que ficou 1 hora e 40 no forno tentando assar), tres garrafas de cachaça, um pedaco de fumo de rolo e palha. Detalhe que ele nao fuma. A regalia eh apenas uma curiosidade para mostrar pros amigos, que nunca viram essa moda caipira antes na vida.

Muamba 2
Esqueci de citar o tempeiro caseiro de alho e ervas da venda do meu tio. Com ele tudo fica com gosto de comida brasileira. Para terem uma ideia, ontem eu adicionei a poçao magica ate no frango ao curry indiano que fiz pro jantar. Se a Gloria Perez pode por todo mundo falando portugues na India, eu ponho meu tempero brasileiro no curry que eu bem entender.

Pulga-atras-da-orelha 2
Como eu ja tenho o meu work-permit, sou agora legalmente apta ao trabalho. Isso significa que quando este fato acontecer, num futuro desconhecido, eu terei apenas 20 dias uteis de ferias ao ano! Eh melhor eu comecar a aproveitar o tempo livre agora. Mas para nao falar que eu nao estou fazendo nada de util na vida, comecei a voluntariar numa das lojas da British Heart Foundation. Todo o dinheiro arrecadado vai para o tratamento e pesquisa das doencas do coracao. Eu fico la 4h por dia e neste tempo faço desde a vitrine ate atender no caixa. Minhas coleguinhas tambem voluntarias tem em media o dobro da idade da entidade, que foi fundada em 1961. E eu aprendo um tanto com elas.

*tim: esta eh mesmo a unica loja em que voce poderia trabalhar.
eu: uai, porque?
tim: em qualquer outra, voce gastaria todo o seu salario em mercadorias.
eu: e voce pensa que nao tem nada nesta loja que eu queira?
tim: nao. eh que nesta voce nao tem salario.