outra gestacao

Hoje recebi a newsletter no meu email com o titulo “seu bebe 40 semanas” e me dei conta de que 9 meses se passaram desde que a Gabriela nasceu. Uma outra gestacao, depois da verdadeira gestacao. Ao mesmo tempo que passou muito rapido, durou uma eternidade. Parece que a Gabi esta aqui com a gente desde sempre.

Nestes 9 meses, assim como numa gestacao, eu mudei, aprendi, perdi a paciencia e tive enjoos. Mudei o jeito de pensar e de gastar meu tempo. Aprendi a ceder e aprendi como a felicidade acontece a cada nova descoberta da minha nenem. Perdi a paciencia com algumas manhinhas dela e pedi forcas para manter a calma e continuar. E tambem enjooei, como toda mae normal e full-time deve enjoar, de passar 24 horas do dia cuidando, alimentando, limpando, brincando, carregando, pondo pra dormir…

Se me doei por inteira, nao sei dizer. Afinal, como eu digo sempre pra ela: “perdoe se a mamae nao faz tudo correto… tambem estou aprendendo!” Mas a Gabriela sim, fez tudo direitinho. Ensinou a mamae e o papai dela a serem mais humanos, a valorizarem coisas mais simples. Ensinou que mesmo se eu deixa-la por horas sozinha vendo TV ou brincando enquanto eu resolvo a vida, que ela vai me amar mesmo assim. E que se eu nao estiver num dia muito bom, pra ela um colinho ja basta. E que mesmo doentinha, ela vai querer sorrir, como se quisesse nos agradar. A Gabriela nos ensinou que uma crianca eh a forma mais pura de amor. O amor incondicional que sentimos por ela eh apenas a resposta do que ela sente por nos. E quando ela nos abraca eh como se dissesse “voces sao as pessoas mais importantes na minha vida”.

Eh, depois destes 9 meses que se passaram, posso mesmo dizer que muitos momentos foram sim um “parto”. Mas a recompensa que eu ganhei e ganho todos os dias eh um presente de Deus; e so quem eh mae mesmo vai me entender.

gracas a lei de preservacao ambiental

A casa aqui ao lado esta em reforma e desde quarta-feira varias pessoas estao trabalhando la fora. Ai vieram montar o andaime e tiveram que colocar um pedacinho aqui em casa tambem, na parte de frente e atras, para protecao. E eles estao que mexem, remexem, toda hora eh caminhao chegando, desce gente, monta, desmonta, faz barulho… E hoje eis que acabaram de bater na minha porta para avisar que infelizmente o trabalho tera que ser interrompido e eles virao desmontar o andaime amanha. A razao: encontraram ninhos de passarinho na chamine da vizinha e de acordo com a lei de preservacao natural eles nao podem pertubar as aves. E eu, queixo caido, chocada com tanto trabalho pra nada, questiono mentalmente: “nem se o passarinho for pardal?” E o homem parado a minha frente, como se tivesse lido meu pensamento: “e nem se fosse morcego. Ja tivemos que parar uma reforma antes por causa de morcegos no telhado.”

Agora imagine isso acontecendo com a gente: “desculpe senhora, encontramos um tatu-bolinha no terreno, temos que parar as obras no jardim!”, ou “atencao populacao Amazonica, encontramos um mico estrela nas arvores, teremos que interromper o desmatamento!”. E mais, “encontramos uma tilapia no rio, teremos que parar de despejar o esgoto agua abaixo!”. E para finalizar, “encontramos uma crianca faminta no sinal, temos que parar imediatamente com o desperdicio de comida!”

Confesso que na hora achei absurda a ideia (e talvez ainda ache!) de parar toda a reforma do telhado por causa de um mero ninho com ovos. Mas quem sabe nao eh assim mesmo, respeitando algo tao simples e que ainda nem nasceu, que aprenderemos a valorizar a vida?

Doentinha

Ontem a Gabriela ficou doentinha pela primeira vez. Bem, ela ja tinha tido uma febre e tambem uma gripe no Brasil, mas desta vez foi um pouco pior. Acordei com o chorinho e quando fui pega-la, notei que o jantar da noite anterior estava todo la no bercinho com ela. Era pedacinho de cenoura grudado ate no cabelo. Morri de do. Ai pensei que fosse culpa da comida, peguei minha menininha, dei um banho mas quando ainda estava a enxugando ela passou mal de novo. E assim foi ate as 6 da tarde, quando a levamos ao medico. Nem agua parava no estomago entao ela passou o dia todo com muita fome e sede; queria, a gente dava e menos de um minuto depois ja estava pra fora. Mas mesmo assim ela queria brincar, estava feliz. O medico disse que poderia ser infeccao de garganta, ja que la no hospital ela comecou a ter febre. E ai ficou irritada, triste e chorona. E eu que ja havia parado de amamenta-la ha alguns dias, tive que voltar atras ja que era a unica coisa que estava fazendo ela ficar mais calma. E mesmo sem leite nenhum ela mama, mama, mama por meia hora, numa sede de ficar boa logo. E toda hora abaixa a cabecinha no meu ombro, quer ficar so no colo, os olhinhos vermelhos, o corpo molinho. Nao quer comer nada, so quer carinho. Crianca nao deveria ter o direito de ficar doente.

Vovo Dilea

Neste domingo de Pascoa, acabou a temporada da vovo Dilea aqui com a gente na Inglaterra. E neste um mes que a vovo passou aqui, ela quebrou varios paradigmas. Deixou para tras o resto da familia e a rotina de muitos e muitos anos.

A vovo teve que parar de assistir novelas – e olha que a vovo Dilea eh daquelas deve ter uma foto 3×4 do Roberto Marinho na carteira. Ela assiste tooooodas as novelas do inicio ao fim, desde que eu me entendo por gente. Ela tambem teve que parar de almocar nos restaurantes gostosos perto de casa, e se acostumar a tomar uma sopinha num pub ingles. File mignon todos os dias nem pensar. E sem o Verde Mar, para comprar o paozinho fresco, sem todas as quitandinhas caseiras que conseguimos comprar no Brasil,  a vovo teve que se acostumar a comer pao-amanhecido e queijinho empacotado.

Teve que comecar a ler livros todas as noites para se distrair (afinal, na TV so temos canais ingles!). E ai ela leu 3 livros em 4 semanas. E entao comprou um laptop. Aprendeu a usar o skype e a conversar com o mundo. Fez 79 anos aqui com a gente adorou ganhar happy birthday ao inves de parabens. Aprendeu a fazer compras no supermercado estrangeiro. Acordou a noite quando eu precisava de uma mao com a Gabriela. Ninou, cantou e embalou, cozinhou papinha de nenem.

E depois de tudo, a vovo ainda pegou o voo sozinha para o Brasil. Fez amizades no aviao, escala no Rio de Janeiro e finalmente aterrisou em BH, de volta para as minhas tias que ja estavam loucas de saudades. A vovo voltou com as malas cheias e deixou um vazio enorme aqui em casa…

… E entao a vovo provou que alem de otima avo e bisavo, ela ainda tem muuuuita vida pela frente. E muitos paradigmas para quebrar!

*Obrigada, vovo Dilea. Agora que voce ja aprendeu o caminho, esperamos voce de volta em breve :)